Secretaria de Cultura proíbe linguagem neutra em projetos da Lei Rouanet

Foi o Secretário de Cultura, o ator Mário Frias, quem comunicou a nova regra pelo Twitter; para "garantir a ampla fruição dos bens culturais".

A linguagem neutra, utilizada por minorias do grupo LGBTQIA+, tem sofrido duras críticas de professores da língua portuguesa que afirmam que as alterações no idioma; ao invés de ampliar o público, diminui.

A linguista Cíntia Chagas, que tem um curso online de grande visualização, disse que a mudança no português não atenta para a maior parte da população.

- Exclui os disléxicos porque promove mais confusão: ‘elu’. Exclui os cegos, que fazem leitura por meio de softwares e gera mais uma dificuldade para eles. Exclui os surdos que fazem leitura labial e ele exclui, sobretudo, uma maioria. Os não-binários não compreendem nem 2% da nossa sociedade –

A decisão do Governo federal foi publicada, nesta quinta-feira (28), no Diário Oficial da União (DOU). O texto afirma que está “vedado o uso e/ou utilização, direta ou indiretamente, além da apologia, do que se convencionou chamar de linguagem neutra” em projetos financiados pela lei federal.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários