Dallagnol pede exoneração do MPF e pode migrar para a política

O procurador da República e ex-coordenador da força-tarefa “Lava Jato”, da Polícia Federal, Deltan Dallagnol, pediu exoneração do Ministério Público Federal. na terça-feira (2), e pode estar pensando em uma carreira política ao lado do amigo e ex-juiz Sérgio Moro.

A possibilidade de Dallagnol investir em uma carreira política veio à tona após o ex-Procurador da República postar críticas ao Governo Federal e ao Judiciário, afirmando que o legado da operação no combate à corrupção tem sido, supostamente, “desfeito”. Ele ainda acrescentou que, fora do MP, pode “fazer mais pelo país”.

- Os nossos instrumentos de trabalho para alcançar a Justiça vem sendo enfraquecidos, destruídos e nós temos sido impedidos até mesmo de envolver a sociedade nesse debate por meio da opinião e da crítica. Por isso, eu creio que posso fazer mais pelo país fora do Ministério Público, lutando com mais liberdade pelas causas em que eu acredito - informou.

Com a saída de Dallagnol do Ministério Público, os 52 processos que ele vinha respondendo na Justiça serão arquivados. Quarenta e nove ações judiciais foram impetradas por réus investigados na maior operação histórica de luta contra a corrupção no Brasil. Até o senador Renan Calheiros (MDB-AL), que responde a 17 processos no Supremo Tribunal Federal (STF), abriu ação contra o ex-Procurador e ganhou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários