Halloween: Homem é demitido após se fantasiar de “goleiro Bruno” em festa de Manaus

Uma festa de Halloween não terminou bem para um homem de Manaus. Ele foi demitido depois de se fantasiar de “goleiro Bruno” e personalizar um saco de lixo com o nome de Eliza Samudio e os restos mortais da modelo, que nunca teve o corpo encontrado.

Em 2010, a modelo foi morta a mando do atleta do Flamengo. Ela havia acabado de dar à luz a um bebê que era dele. Ela foi espancada, estrangulada e teve partes do corpo dados a cachorros porque ameaçava Bruno de jogá-lo na Justiça em virtude da pensão da criança.

A lembrança do assassinato que chocou o Brasil não repercutiu bem nas redes sociais do estabelecimento onde a festa foi realizada e o tatuador foi identificado e demitido do estúdio trabalhava.

Pelas redes sociais, o delegado João Tayah, da Polícia Civil do Amazonas, disse que o homem tem que prestar esclarecimentos pela conduta.

- Feminicídio não é brincadeira, feminicídio não é fantasia. É crime fazer apologia ao fato ou ao agente criminoso – explicou, acrescentando que o tatuador terá que responder pelo delito.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários