Família afegã vende a filha de nove anos para homem de 55

No Afeganistão, após o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden decretar a saída imediata das tropas americanas do páis, o grupo terrorista talibã tomou conta do lugar e impôs regras, extremamente, difíceis para mulheres e meninas que não podem trabalhar e estudar.

Com a miséria se acentuando cada vez mais entre as famílias paquistanesas, é mais frequente a venda de meninas para garantir o sustento da família. Foi o que fez o pai de Parwana Malik, de apenas 9 anos. Ele vendeu a filha mais velha para um homem de 55 anos, que pagou R$ 12,4 mil pela criança.

Ao questionar do homem o que faria com ela, ouviu uma resposta sombria:

- O velho me disse: Estou pagando pela menina. Não é da sua conta o que estou fazendo com ela. Isso é da minha conta -

A resposta do comprador identifica bem o retrato do que as mulheres sofrem em um país miserável e comandado pelo Talibã.

Embora nunca mais saiba do paradeiro da filha, o pai de Parwana disse que se a situação financeira não melhorar no país, ele vai ter que vender sua outra filha de apenas 2 anos. É que o Talibã impede muitos profissionais de trabalharem restringindo, dessa forma, o sustento das famílias afegãs.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários