MP vai investigar PMs que imobilizaram mãe com bebê nos braços

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) vai investigar por que motivo dois policiais militares agiram com tanta violência contra uma mulher que carregava um bebê nos braços e ainda estava companhada de um filho pequeno, nesta sexta-feira (5), em Itabira (MG).

- O MPMG instaurou Procedimento Investigatório Criminal para apuração dos fatos ocorridos no dia 5/11, em Itabira, diante de indícios de violações de direitos e desvios funcionais supostamente praticados por policiais militares em abordagem a uma mulher acompanhada de crianças - informou o órgão por meio de rede social.

Os policiais detiveram a mulher no meio da rua. Mas, a abordagem deles foi questionada por pessoas próximas, que tentam conter a ação. Um dos agentes corre para o veículo e impede que populares tirem a mulher das mãos do colega.

Ela foi derrubada no chão, imobilizada com o joelho de um dos PMs no pescoço, mas, ainda assim, segurava o bebê. Então, o PM pede a uma outra mulher que tire o bebê da mãe; já que ela se recusava a entregá-lo.

Em nota, a Polícia Militar reagiu às acusações e disse que um casal foi preso por porte ilegal de arma de fogo e munições.

- Durante a abordagem, foram apreendidas quatro munições calibre .32 com o homem. Para impedir a apreensão da arma de fogo que estava consigo, a mulher se agarrou a uma criança, usando-a como escudo humano e se recusando a largá-la. Uma touca ninja também foi apreendida com o casal - diz a nota.

Ninguém ficou ferido.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários