Em tom presidenciável, Moro diz: "Chega de corrupção, mensalão, Petrolão e rachadinha"

O ex-Ministro da Justiça e ex-juiz federal, Sérgio Moro, se filiou ao Podemos, nesta quarta-feira (10).

Em seu discurso de filiação com um tom presidenciável, ele relembrou seu passado como juiz no combate à corrupção no Brasil, citou “rachadinhas”, “orçamento secreto” e ainda mencionou o governo do ex-presidente Lula, que foi preso por determinação dele.

- O Brasil foi roubado como nunca foi antes na história deste país. Meu objetivo ao entrar no governo era melhorar a vida das pessoas - alegou.

E completou:

- Chega de corrupção, mensalão, Petrolão, rachadinha, chega de orçamento secreto. Chega de querer tirar vantagem em tudo e enganar o povo brasileiro - acrescentou.
- A corrupção ainda existe e enfraqueceram os mecanismos para combatê-la - apontou, sem citar diretamente o presidente Jair Bolsonaro, que não é acusado em nenhum processo desse tipo.
- O presidente está em permanente campanha política - criticou.

Apenas o ex-Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, esteve na cerimônia de filiação de Moro.

O ex-ministro terá de enfrentar uma grande embate; já que ele é censurado por aliados do Governo Federal que o veem como um traidor que abandonou o presidente no início da pandemia. E, por outro lado, é odiado dos petistas que o consideram um juiz vendido.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários