Briga de Titãs: Senna desprezava Schumacher. Saiba o motivo...

Com a aproximação da data do Grande Prêmio de Mônaco deste ano, que ocorrerá no dia 23 de maio, retornam à memória dos fãs os seus maiores vencedores: Ayrton Senna, que venceu o GP seis vezes, Michael Schumacher e Graham Hill, cada um com cinco vitórias. E, mesmo após mais de duas décadas da morte de Senna, polêmicas continuam perambulando por aí.

As opiniões de Senna sobre seus adversários, principalmente Schumacher - por quem ele demonstrava uma certa antipatia, seguem dando o que falar.

Poucos meses antes do acidente fatídico, Senna chegou a declarar:

- Acho que o Schumacher, como tantos outros jovens, tem sede de vencer, mas talvez não tenha uma estrutura suficiente para administrar o sucesso tão cedo. Ele é competitivo e está tendo sucesso. Só que essa falta de estrutura acaba trazendo uma série de situações indesejáveis… no relacionamento com as pessoas, pô! Não é só comigo. Isso tem sido uma constante para ele - declarou Senna, na época.
- Schumacher não é visto da forma mais simpática dentro da Fórmula 1. Ele é visto como muito estrela. O cara venceu dois grandes prêmios na vida até hoje, nada mais, e se acha um campeão do mundo, alguma coisa assim…

Na mesma ocasião, Senna comentou sobre os boatos de que Alain Prost teria vetado um contrato seu com a Williams, dizendo que o piloto francês deveria falar menos:

- Eu vou correr na Williams e ele não vai estar lá. Se ele disse que poderia me barrar, eu me surpreendo, pois não foi ele quem declarou tantas vezes que não tinha o direito de barrar ninguém, que isso era uma decisão da equipe? Então o Prost, apenas para variar, como sempre, fala muito. Ele ganharia muito mais se falasse menos. É isso que acontece com ele: fala demais!

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários