Policiais consideram MP e Judiciário “insensíveis ou indiferentes” ao trabalho deles

De 2014 pra cá, cresceu o apoio à militarização das polícias no Brasil, de 9% para 14,4%, segundo levantamento divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). O "Escuta dos profissionais de segurança pública no Brasil" ouviu mais de 9 mil policiais, entre abril e maio deste ano.

O levantamento afirma que a taxa de policiais que, apoiavam uma desmilitarização, caiu de 56,9% para 46,8%. Isso ocorre, principalmente, pela forma como os policiais civis hoje são julgados por um tribunal que não entende a dinâmica do trabalho deles. Diferentemente do que ocorre com os policiais militares, que são julgados por um tribunal militar.

Fora isso, quatro em cada cinco policiais (81%) responderam querer uma carreira única, com um único concurso para ingresso nas corporações e maior probabilidade dos planos de promoções.

Os policiais não se eximiram de comentar sobre o Ministério Público e o Poder Judiciário. Os agentes reclamaram das instituições e disseram que elas não colaboram com o trabalho deles, desconhecem as dificuldades, dificultam e até mesmo se opõem ao exercício policial.

Quase metade (48%) dos policiais consideram o trabalho do MP “insensível e indiferente” à atividade policial. Outros 17,7% foram mais longe e disseram que o MP, naverdade, é uma instância que se opõe ao trabalho policial e muitas vezes até o dificulta.

Quase 47% dos policiais também têm severas críticas sobre o Judiciário do Brasil, considerando-o “insensível e indiferente”. E 22,1% o avaliam como "uma instância que se opõe ao trabalho policial".

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários