Suspeito de chefiar esquema de agiotagem no DF era PM

A Operação “SOS Malibu”, deflagrada nesta terça-feira (16), prendeu o sargento da Polícia Militar, Ronie Peter Fernandes da Silva, de 45 anos.

A operação cumpriu 15 mandados judiciais distribuídos em Vicente Pires, Taguatinga e São Paulo (SP). Além disso, veículos foram apreendidos e contas bancárias bloqueadas. Seis pessoas foram presas e uma está foragida.

O sargento da PM vinha sendo investigado nos últimos seis meses. É que o salário líquido dele, de quase 8 mil reais, não era compatível com a vida que o policial fazia questão de ostentar nas redes sociais.

Só para se ter uma ideia: Ronie tinha quatro carros de luxo que, juntos, somavam o valor de R$ 3 milhões, moto aquática e avião particular.

“Ronie Malibu”, como o agente gostava de ser chamado, também adorava compartilhar na rede fotos das viagens para destinos paradisíacos que fazia.

O esquema de agiotagem de Ronie era familiar e já existia há 15 anos. O pai e o irmão do PM também foram presos. Eles emprestavam dinheiro a juros superiores aos permitidos por lei e cobravam os valores sob "grave ameaça".

Em alguns casos, quando o PM não conseguia o valor em espécie, ele levava o carro das vítimas ou então exigia a transferência de imóveis.

O delegado responsável pelas investigações, Fernando Cocito, disse que Ronie "vive da agiotagem".

- Algumas vítimas procuraram a polícia porque se sentiram ameaçadas pelos juros extremamente altos cobrados por ele. São recados ameaçadores: 'Vai ficar ruim para você e para sua família. Sei onde você mora – contou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários