Toffoli assume que STF não deixa Bolsonaro governar: “É o poder moderador”

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, assumiu, nesta terça-feira (16), que o Brasil vive um "semipresidencialismo", em que o governante eleito não administra o país sozinho porque o parlamento interfere nas decisões e, ainda por cima, o Supremo atua como um suposto poder moderador.

- Nós já temos um semipresidencialismo com um controle de poder moderador que, hoje, é exercido pelo Supremo Tribunal Federal. Basta verificar todo esse período da pandemia - disse durante o 9º Fórum Jurídico de Lisboa, em Portugal, referindo-se às muitas medidas impostas ao Governo do Presidente Jair Bolsonaro no combate à Covid-19.

Em outro momento, Toffoli até admitiu que "presidir o Brasil não é fácil" e que a discussão sobre o tema seria muito complexa.

A deputada federal e presidente da CCJ da Câmara, Bia Kicis (PSL-DF), rebateu a declaração de Toffoli e disse que é “muito preocupante” assistir o Congresso Nacional “de joelhos” para o STF e fez um alerta aos conservadores que só “vivem a sua vida e cuidam da sua família”.

- Está na hora dos conservadores terem a ousadia dos canalhas – avisou.
- Porque nós estamos sendo ‘tratorados’ por eles. Não adianta a gente ficar cuidando só da nossa família porque eles estão avançando para destruí-las - finalizou a procuradora aposentada.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários