Italiano consegue autorização para cometer suicídio assistido

Um homem da Itália, de 43 anos, tetraplégico após um acidente há mais de 10 anos, conseguiu na Justiça do país a permissão para o suicídio assistido, também chamado de eutanásia.

Mário tentava desde o ano passado a autorização do sistema judiciário para tirar a própria vida. Ele alegou aos magistrados que não queria mais viver dessa forma porque, para ele, estar num corpo assim significava “tortura”. Ele argumentou que sente muitas dores e que não quer mais nenhum tratamento paliativo.

– Sinto-me mais leve. Me livrei de toda a tensão acumulada nos últimos anos. Estou cansado e quero ser livre para escolher o fim de minha vida. Ninguém pode me dizer que não estou mal o bastante para continuar vivendo nessas condições e me condenar a uma vida de torturas – comemorou Mário, depois da decisão.

Esta foi a primeira vez na história da Itália que o país concedeu permissão desse tipo. Um comitê independente formado por médicos e psicólogos confirmou as alegações de Mário. O próximo passo é definir qual medicamento será tomado pelo homem e agendar a data de sua morte.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários