“Se Lula pretende voltar ao governo, precisa fazer como os ‘tiranos’ que apoia: ser malvado”, afirma jornalista de esquerda

O jornalista Eduardo Vasco, do Diário da Causa Operária, um jornal de extrema esquerda, publicou um artigo preocupante, nesta segunda-feira (29). Ele disse que, caso o ex-presidente e ex-presidiário, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), seja eleito em 2022, precisa “governar como um ditador sanguinário".

Sim, você não leu errado. De acordo com o comunicador, Lula deve seguir à risca o mesmo regime de outros ditadores espalhados pelo mundo e prender inimigos, agentes estrangeiros, regular a imprensa e nacionalizar empresas. Enfim, fazer tudo para "garantir e preservar as conquistas sociais".

- Ortega, Maduro (e antes Chávez) e (Miguel) Díaz-Canel (anteriormente Fidel e Raúl Castro) (...) Prenderam os agentes estrangeiros. Nacionalizaram os setores estratégicos da economia, tirando-os das mãos dos monopólios capitalistas. Armaram a população. No caso mais radical (que deve ser o exemplo para todos nós), os cubanos fuzilaram os torturadores e assassinos da ditadura títere dos EUA encabeçada por Fulgencio Batista -
- A esquerda tem que decidir o que é melhor. Ser bem-comportada e deixar a direita, a burguesia e o imperialismo desmontarem a soberania nacional e os direitos do povo, ou ser radical, extremista e linha-dura, esmagando os agentes estrangeiros e expulsando o imperialismo do País -
- Se Lula pretende voltar ao governo ─ e permanecer ao menos por quatro anos ─, ele precisa fazer como os “tiranos” que apoia. Afinal, foram os únicos governos de esquerda da região que resistiram ao golpe imperialista. Resistiram porque foram “malvados” - explica.

Um sinal, no mínimo, de alerta para os opositores políticos, imprensa, Ministérios Públicos e Poder Judiciário.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

(CRÉDITO: REPRODUÇÃO)
(CRÉDITO: REPRODUÇÃO)
Mostrar comentários