CCJ do Senado aprova André Mendonça para o STF, após 8 horas de sabatina

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, presidida por Davi Alcolumbre, aprovou, nesta quarta-feira (1), por 18 votos favoráveis e 9 contrários, a indicação do ex-Advogado-Geral da União e ex-Ministro da Justiça, André Mendonça, a uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF).

Após ter tido os seus conhecimentos jurídicos avaliados por 8 horas seguidas pelos senadores, o nome do pastor evangélico será debatido em plenário da Casa. Oitenta e um senadores avaliarão. Mendonça precisa da aprovação de 41 deles para, enfim, tomar posse do cargo.

Ao final da sabatina, Mendonça agradeceu aos presentes e disse que tinha orado muito por cada um deles.

- Pedi que orassem por cada de um de vossas excelências, pelas suas famílias, pelo nosso país. Podem ter certeza que todos os domingos, é tradição na igreja evangélica a oração por todas as autoridades por todos os poderes. Vossas excelências sem saber estão sendo objeto dessa ação, de busca do que há de melhor, na nossa concepção, que são as bênçãos de Deus sobre a vida de vocês -

Por fim, o ex-Ministro disse que pautará seu trabalho no Supremo com imparcialidade e tratamento igualitário a todos.

- Reafirmo meu compromisso irrestrito com a imparcialidade. (...) Darei tratamento igualitário a todas as partes. Na vida, a Bíblia. No STF, a Constituição - afirmou.

Mendonça foi advogado da Petrobras, atuou na Advocacia-Geral da União (AGU), na Controladoria-Geral da União (CGU), e no Ministério da Justiça, substituindo o ex-juiz federal Sergio Moro.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários