Amigo de ditadores, Papa critica governos “não democráticos”

A viagem do Papa Francisco à Igreja Ortodoxa da Grécia tem dado o que falar. Neste sábado (4), em discurso mais político, ele disse que tem notado um retrocesso da democracia em várias partes do planeta.

O religioso está no país tentando unir a Igreja Católica à Igreja Ortodoxa Oriental, desde que ambas se dividiram em 1054, durante o Grande Cisma.

Ele culpou o populismo e o “distanciamento das instituições” para a suposta derrocada democrática.

- Não se pode deixar de constatar com preocupação como hoje, não apenas no continente europeu, se registra um retrocesso na democracia - disse Francisco, no país onde nasceu a democracia.
- O autoritarismo é expedito (diligente) e as promessas fáceis propostas pelo populismo mostram-se atraentes -

E acrescentou:

- Em diversas sociedades, preocupadas com a segurança e anestesiadas pelo consumismo, o cansaço e o mal-estar levam a uma espécie de ceticismo democrático - completou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários