Nadadora trans recebe críticas ao bater recorde feminino

O nadador americano Will Thomas, de 21 anos, costumava participar de torneios masculinos, mas ele não tinha uma desenvoltura pra lá de marcante entre os seus adversários.

Ele competiu três anos entre os homens até que, em um ano, ele ficou sumido. Não deu as caras. Quando o rapaz voltou às piscinas, já não era mais Will. Ele respondia como Lia e queria fazer parte do time de natação feminino da Universidade da Pensilvânia, onde estudava.

O problema é que entre as mulheres o desempenho de Lia foi muito melhor. Ela conseguiu, por exemplo fazer 1500m livres com 38 segundos na frente da segunda colocada. A jovem trans ficou feliz da vida e achou que receberia muitos elogios por sua atuação depois de ter passado um ano fazendo a transição de gênero. Mas, ao invés disso, recebeu duras críticas pelo fato de conseguir vantagem em cima das mulheres.

Indignada, uma treinadora postou:

- Isso não é certo!! -

E completou:

- Bem, é claro que os recordes das mulheres estão sendo quebrados! Lia competiu como homem durante os primeiros três anos na #NCAA. Isso não está certo! Precisamos voltar para os #EsportesBaseadosemSexo! #SexoNãoGênero para preservar a justiça para as atletas do sexo feminino - finalizou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários