"Para tirar a dor dos pais, eu tô pronto: me condenem", diz réu no caso Kiss

Luciano Bonilha Leão, um dos réus no caso do incêndio na Boate Kiss, surpreendeu o júri. Durante o testemunho emocionado, o auxiliar da banda "Gurizada Fandangueira", grupo que foi responsável por usar o artefato pirotécnico que causou a tragédia ceifando a vida de 242 pessoas, disse que "estava pronto para ser condenado"; caso isso amenizasse a dor dos pais das vítimas.

O incêndio na Boate Kiss ocorreu em janeiro de 2013, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Além dos mortos, 636 pessoas ficaram feridas.

O acidente é considerado a segunda maior tragédia ocorrida no Brasil. A primeira foi no Grand Circus Norte-Americano, ocorrida em 1961, em Niterói, cujo incêndio matou 503 pessoas.

O resultado do julgamento sai nesta sexta-feira (10).

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários