Em 2020, o país "mais feliz do mundo" registrou mais suicídios do que mortes por Covid

A Finlândia, o país mais feliz do mundo de acordo com levantamento feito pela Organização das Nações Unidas (ONU) em parceria com a Gallup e um dos mais seguros para se viver, registrou mais suicídios em 2020 do que mortes pelo coronavírus.

Para se ter uma ideia, foram 254,5 mortes por cada milhão de habitantes. Isso quer dizer que o número foi sete vezes maior do que o registrado na Espanha ou França, por exemplo. Ou seja: 558 finlandeses morreram por Covid, mas, por outro lado, 717 se suicidaram no mesmo período.

O Governo finlandês "comemora" a baixa taxa de ceifados pela infecção do coronavírus, doença que eles cuidam atentamente desde o início do ano passado. Porém, a preocupação agora é com a realidade do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país que, apesar de apresentar índice de 0,938, e ocupar a 11ª posição no ranking mundial; os finlandeses têm motivos de sobre para desejarem morrer mais rápido e as autoridades querem saber o porquê.

Morando há 11 anos na cidade de Mikkeli, a mineira Ingrid Alomeida, de 34 anos, diz que felicidade não se resume a ter renda per capita, saúde e educação, mas sim, estar com quem se ama. Ela afirma que os finlandeses consomem muito antidepressivos e que o país é frio e escuro em boa parte do ano; o que acaba distanciando as pessoas umas das outras.

- Na Finlândia e em alguns outros países nórdicos, consomem-se quantidades altíssimas de antidepressivos. É uma contradição muito grande dizer que aqui é o país mais feliz do mundo - aponta.
- Aqui, na Finlândia a população tem um conflito muito grande com a vida social. Os finlandeses são fechados e é difícil fazer amigos. Me sinto muito sozinha. Eu brinco que minha quarentena começou há 11 anos, então nem me abalei nesse sentido. O clima também influencia. Aqui é frio e escuro durante a maior parte do ano - finaliza.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários