A horripilante história de H. H. Holmes, o primeiro serial killer dos EUA

Com o lançamento de mais um livro sobre H. H. Holmes, considerado o primeiro serial killer dos Estados Unidos, o interesse por sua história acaba ressurgindo.

Harold Schechter relata a história deste famoso criminoso e de seu hotel dos horrores, no livro H. H. Holmes: Maligno – O psicopata da Cidade Branca.

Juntamos, aqui, 10 curiosidades sobre a história daquele que é considerado um dos maiores psicopatas da história:

1. Ele frequentou aulas de Medicina na faculdade

Em 1882, quando ainda usava seu verdadeiro nome, Herman Webster Mudgett, H. H. Holmes frequentou o Departamento de Medicina e Cirurgia da Universidade de Michigan, se formando dois anos depois. Durante o curso, ele trabalhou no laboratório de anatomia.

2. Holmes roubava e desfigurava cadáveres

Durante seu tempo na faculdade, ele roubou vários cadáveres do laboratório e os desfigurou. Sua intenção era conseguir resgatar os valores dos seguros de vida dessas pessoas, alegando que elas tinham morrido por acidente. Holmes se aperfeiçoou em fraudes de seguro, se tornando beneficiário nas apólices de várias mulheres que trabalharam para ele. Muitas delas morreram misteriosamente pouco tempo depois.

3. Ele vendia os esqueletos de suas vítimas

Além da fraude de seguros, Holmes também lucrava com a venda dos esqueletos de suas vítimas. Graças às suas conexões da época da faculdade de medicina, ele vendia os esqueletos para laboratórios e escolas locais. Ele foi acusado de retirar a carne dos ossos e preparar os esqueletos. Ele ainda dissolvia os restos mortais no limão ou no ácido para eliminar evidências.

4. H. H. Holmes fez seu sócio fingir a própria morte

Em mais um golpe de seguro, Holmes convenceu seu sócio , Benjamim Pitezel, a fingir a própria morte para que a esposa resgatasse os US$ 10 mil do seguro de vida. O plano era que Holmes conseguiria um cadáver para simular a morte de Pitezel, e ficaria com o dinheiro do seguro. Mas ele mudou de ideia e acabou matando o sócio, deixando-o inconsciente com clorofórmio e depois queimando seu corpo com benzeno.

5. O Hotel Infernal é um verdadeiro mistério – Até para aqueles que o construíram

Em 1983, com a Exposição Universal de Chicago, Holmes teve a desculpa perfeita para colocar em prática um plano macabro. Comprou uma propriedade que funcionaria como um hotel para hospedar os visitantes da exposição. Mas, na verdade, ele construí um labirinto da morte, contratando diferentes construtoras para completar etapas da obra, que incluíam 51 portas que abriam para uma parede de tijolos, 100 quartos sem janelas, escadas que levavam a lugar nenhum, duas fornalhas e um crematório.

6. É difícil listar todos os crimes de Holmes porque ele era um mentiroso compulsivo

Em seu testemunho, Holmes confessou ter matado 27 pessoas, mas esse número pode ser muito maior. O problema é que Holmes mentiu durante todo o seu testemunho, em alguns momentos alegando inocência, em outros dizendo estar possuído pelo diabo e chegando, inclusive, a citar entre os nomes de suas vítimas, pessoas que estavam vivas durante o julgamento.

7. Ele foi pego por ter roubado um cavalo

Apesar das suspeitas das autoridades, havia falta de provas para garantir a condenação de Holmes, até que um de seus companheiros de cela contou que e havia roubado um cavalo no Texas. Por medo das penas muito mais severas naquele estado, Holmes tinha medo de ser enviado para lá, então confessou a fraude ao seguro no caso de Pitezel, mas negou o assassinato, alegando ter conseguido o cadáver com um médico de Nova York.

A mentira só não deu certo porque o inspetor questionou o método utilizado por Holmes para manter o rigor mortis detectado no cadáver, o que só ocorre quando a pessoa morreu recentemente.

8. H. H. Holmes já deu as caras em outro livro publicado pela Caveira

E foi em uma publicação do selo Darklove! Isso aconteceu no primeiro volume da trilogia Chronos. Em Chronos: Viajantes do Tempo, de Rysa Walker, Kate descobre que sua avó é uma viajante no tempo e precisa embarcar em uma viagem ao passado para consertar a linha temporal e garantir a própria existência.

Ela “viaja” para a Exposição Universal de Chicago, em 1893, a mesma feira para a qual Holmes construiu seu infame hotel. A missão de Kate consiste em não estragar o passado e impedir a ascensão de um culto religioso que ameaça afetar o universo como o conhecemos.

9. A 5ª temporada de American Horror Story se inspira nele

A série American Horror Story costuma contar, em cada temporada, uma história baseada em acontecimentos, lendas ou medos comuns dos EUA. A 5ª temporada foi baseada na história em parte da história de H. H. Holmes, mesmo comos nomes trocados. O título da temporada é Hotel, e o personagem inspirado em Holmes é James March.

10. Martin Scorsese e Leonardo DiCaprio irão produzir uma série sobre o assassino

Um projeto em andamento, com a produção executiva de Martin Scorsese e de Leonardo DiCaprio deve trazer a história de H. H. Holmes para a TV. DiCaprio comprou os direitos do livro ‘O Demônio na Cidade Branca’, de Erik Larson. O projeto inicialmente seria de um filme, mas foi alterado e, agora, deve virar uma série em que o próprio DiCaprio interpretará Holmes.

DiCaprio comprou os direitos do livro O Demônio na Cidade Branca, de Erik Larson, em 2010. Originalmente deveria virar um filme, mas as negociações com estúdios e acabaram virando um projeto de série em 2019.

A ideia é que o próprio DiCaprio interprete Holmes.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários