A inevitável queda de Tite e a ascensão de Renato

Politização do Futebol

Como se fosse positiva tal afirmação denotada na manchete acima, é inevitável a clara politização do futebol.

Entretanto, não é dos dias atuais.

Se você não vivenciou, pelo menos lembra ou já ouviu falar da “democracia corinthiana'' que mudou gerações.

Obviamente, os tempos são outros e, diferenças à parte, a política continua impregnada dentro dos gramados.

Se Tite vai cair ou não, pouco importa. Mas o senso crítico e uma reflexão sobre o assunto se faz necessária.

Quanto a Renato Portaluppi, ao que parece, deve estar checando seu e-mail de 15 em 15 minutos à espera da tão sonhada proposta.

Como diz a canção composta por Miguel Gustavo para uma cervejaria e que, posteriormente, virou um dos maiores cantos nos estádios quando a ‘amarelinha’ está campo:

- Todos juntos vamos
Pra frente, Brasil
Salve a Seleção!

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários