Argentinos vão às ruas contra pagamento de dívida bilionária

Uma multidão de argentinos foi à ruas, neste sábado (11), protestar contra a o acordo feito entre o Governo de Alberto Fernández e o Fundo Monetário Internacional (FMI) para o refinanciamento de US$ 44 bilhões em dívidas.

Mais de 100 organizações participaram do ato.

Os manifestantes pediam que Fernández não reconhecesse a dívida, mas o presidente argentino Fernández, ao lado da vice, Cristina Kirchner, e dos ex-presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e José Mujica, do Uruguai, afirmou que quitaria o valor; porém sem comprometer o crescimento do país.

A Argentina sofre uma grave crise econômica depois que Alberto Fernández colocou em prática o mais severo e longo lockdown do planeta na tentativa de combater a pandemia da Covid-19. Como consequência da sua desastrosa gestão, várias empresas deixaram o país, muitas outras quebraram e a fila de desempregados aumentou drasticamente.

O acordo do governo com o FMI planeja o pagamento de 19 bilhões de dólares em 2022, mais 19 bi em 2023 e US$ 5 bilhões em 2024.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários