Após previsões erradas sobre a economia brasileira, FMI é convidado a deixar o país

O Ministro Paulo Guedes ja vinha desmonstrando descontentamento com as pesquisas estimuladas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), que projetavam uma queda de 10% na economia brasileira. Por isso, em virtude dos constantes erros e atropelos nas previsões, o Governo Federal não pretende mais manter o escritório do órgão no Brasil.

Tanto a pasta quanto o Fundo confirmaram a decisão.

- A verdade é que tivemos um desempenho que surpreendeu o mundo. Acharam que ia cair 10%, caiu 4%. Disseram que ia entrar em recessão, voltou em V, com crescimento forte. E agora a desgraça foi rolada para o ano que vem. Vou dizer até com delicadeza que nós estamos dispensando o FMI. Ele estão aqui há bastante tempo, havia bastante desequilíbrio. E eu assinei: ‘Pode voltar, pode passear lá fora’. Achamos melhor eles fazerem previsões em outro lugar - disse Guedes, indignado, com os constantes erros do FMI.

O Governo brasileiro mantinha o escritório do FMI em Brasília, até então, mesmo o acordo tendo sido terminado em 2005. Agora, o Fundo tem até o dia 30 de junho de 2022 para deixar o país.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários