"Matilda da vida real" é adotada por professora

Loralie Henry, 9 anos, de La Verne, em Los Angeles, nos Estados Unidos, teve que ficar aos cuidados das autoridades, em um orfanato, quando tinha apenas quatro.

O orfanato até tentou fazer com que a mãe biológica voltasse a cuidar da filha, aos 5 anos de idade. Mas, com 6, a menina foi colocada novamente no abrigo e, dali por diante, passou uma verdadeira "via crucis" em lares adotivos.

Há dois anos, porém, Loralie conheceu sua professora Zoe Henry e sua sorte mudou.

A pedagoga disse que, no momento em que colocou os olhos na criança, soube que iria adotá-la.

- Ela entrou na minha aula e eu apenas dei uma olhada nela, suas pequenas sardas, sua pequena marca de nascença. Eu vou adotar essa menina. Ela é minha filha. No minuto em que coloquei os olhos nela - conta Zoe.

A menina retribuiu o amor da mãe adotiva e disse como foi sua experiência em lares adotivos e no orfanato:

- Realmente assustador. Eu não sabia o que esperar de lares adotivos - frisou.
- Eu realmente não sabia o que fazer. Então pensei: 'Bem, o que devo fazer? Tem alguém esperando por mim?'. Eu estava realmente com medo. Até conhecer minha mãe. Minha professora da segunda série - explicou.

A garotinha lembra com clareza do dia em que a professora avisou que iria adotá-la:

- Estávamos sentadas perto do carro e ela disse: 'Você vai vir comigo'. Fiquei tão surpresa e feliz. Foi com o presente antecipado - revela.

O caso de Loralie foi comparado ao do filme Matilda, de 1996, em que a personagem principal, uma menina de 6 anos cujos pais a desprezam, é adotada pela professora.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários