Animal microscópico “ressuscita” após mais de 24 mil anos

Um animal microscópico voltou à vida após passar 24 mil anos no solo congelado da Sibéria, na Rússia.

O anúncio sobre o animal denominado “rotífero bdeloide” foi feito, nesta segunda-feira (7), por pesquisadores russos e publicado no periódico científico Current Biology.

Depois de reaquecido, o animal foi capaz, inclusive, de se reproduzir assexuadamente por meio de um processo chamado partenogênese.

Os autores do estudo afirmam que esta é a prova mais concreta que se tem até agora de que animais multicelulares podem sobreviver por milhares de anos em um estado de metabolismo quase totalmente interrompido.

O animal foi retirado do Rio Alazeya, situado no Ártico russo, por meio de uma plataforma de perfuração.

Após realizarem a datação por radiocarbono, os pesquisadores descobriram que a idade do espécime girava em torno dos 24 mil anos.

Além desse animal, outros seres multicelulares, como um verme e algumas plantas, apresentaram a habilidade de suportar longos períodos de tempo nesse estado de inércia.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários