Deputado do PT quer acionar Conselho Tutelar para obrigar filha de Bolsonaro a se vacinar

O deputado federal Bohn Gass (PT-RS) insinuou no Twitter, nesta segunda-feira (27), que, caso o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, se recusem a vacinar a filha Laurinha, de 11 anos; o caso poderia ser levado ao Conselho Tutelar.

- A filha de Bolsonaro, Laura, de 11 anos, não será vacinada por decisão do pai. Será um caso para o Conselho Tutelar de Brasília? -

A declaração do petista vem dias depois do presidente afirmar que não gostaria de imunizar a criança em virtude da contra-indicação existente nos fármacos.

- Estamos conversando com o Queiroga nesse sentido. Ele, dia 5, deve ditar normas de como é que deve se vacinar crianças. Eu espero que não haja interferência do Judiciário. Espero porque a minha filha não vai se vacinar - deixar bem claro. Ela tem 11 anos de idade - explicou o presidente.

O Ministério da Saúde adiantou que a vacinação do público infantil, de 5 a 11 anos, deveria ocorrer mediante prescrição médica e consentimento dos pais. Mas, os partidos de oposição desejam imunizar as crianças à revelia de pais e tutores.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários