Companhia aérea desmente George Clooney: "Nunca estivemos interessados nele"

No início do mês de dezembro, o ator norte-americano George Clooney, de 60 anos, afirmou ter recebido uma proposta milinária para fazer propaganda para a companhia aérea Turkish Airlines, da Turquia. Segundo o galã, a empresa teria lhe oferecido a "bagatela" de US$ 35 milhões por um simples comercial, mas o artista recusou.

Clooney disse que conversou com a mulher, a ativista dos direitos LGBT, Amal Alamuddin, e chegaram à conclusão de que a companhia tinha vínculo com um país "questionável".

- Ofereceram-me US$ 35 milhões por um dia de trabalho em um comercial de uma companhia aérea, mas conversei com Amal sobre isso e decidimos que não vale a pena. Era (associado a) um país que, embora seja um aliado, às vezes é questionável - alegou.

İlker Aycı, de 50 anos, não gostou nada de ver o nome da empresa que dirige de forma pejorativa nos jornais e se manifestou sobre o caso, desmentindo, categoricamente, o ator.

- Nunca estivemos formalmente interessados ​​no nome George Clooney. Nunca oferecemos tal oferta - rebateu o executivo.

Nas redes sociais, os internautas especulavam se a negativa de Clooney foi porque a empresa aérea está associada com o Estado de Israel ou os Emirádos Árabes. A mulher do ator é uma crítica voraz ao povo israelense e o acusa de invadir as terras palestinas.

- Estou horrorizada com a situação na Faixa de Gaza ocupada, especialmente as vítimas civis que foram causadas e acredito fortemente que deveria haver uma investigação independente e responsabilização pelos crimes que foram cometidos - escreveu a advogada, recentemente.

A Turkish Airlines já convidou nomes "de peso" para estrelar campanhas publicitárias da empresa. Entre eles, Nicole Kidman, Jennifer Aniston, Lionel Messi, Morgan Freeman e Kobe Bryant.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários