Médico fala sobre dor de Bolsonaro: "É como alguém bater com um martelo na barriga com força"

O gastroenterologista Antonio Luiz Macedo, médico pessoal do presidente Jair Bolsonaro (PL), comentou sobre as fortes dores que o chefe do Executivo teve, no domingo (2), e revelou que todo mal-estar no intestino refeito dele é algo "perigoso".

- Não existe "pequena obstrução" no caso do presidente. O intestino está todo colado na parede devido a vários fatores — a própria facada, as cirurgias, os sangramentos e infecções já ocorridos. É sempre perigoso, portanto - explicou.

O cirurgião-chefe contou que o presidente sentia tantas dores na região do abdomem que pensou estar morrendo.

- Ele me ligou chorando de dor. Falou: 'estou morrendo, Macedo. A coisa está ruim'. Mandei ele ir na hora para o Vila Nova Star - recordou, acrescentando que "a dor é pavorosa".
- É como alguém bater com um martelo na barriga com força - finalizou.

Para evitar riscos de complicação, Macedo sugeriu que o presidente evite passeios de moto e quedas, caminhe duas vezes ao dia, mastigue bem os alimentos e não coma carne.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários