Pai de Djokovic desabafa: "Estão pisoteando e crucificando Novak e a Sérvia"

O pai do tenista Número 1 do mundo, Srdjan Djokovic, disse, nesta quinta-feira (6), que o sérvio Novak Djokovic, de 34 anos, foi enganado pelas autoridades australianas, quando disseram que seria permitido ele entrar no país sem o cartão de vacinação contra a Covid-19.

- Estão pisoteando Novak e, ao mesmo tempo, pisoteando na Sérvia e no povo sérvio - lamentou.
- Eles crucificaram Jesus e agora estão tentando crucificar Novak da mesma forma: forçando ele a ficar de joelhos. Eles levaram todas as suas coisas e sua carteira. Ele é um prisioneiro - disse, desmentindo o Governo da Austrália que havia informado o tenista estar em um hotel.

A mãe do tenista, Dijana Djokovic, contou que o filho foi colocado em um hotel para refugiados. Em uma calssificação de 170 hospedagens de Melbourne, a que Djokovic foi hospedado está em 105ª posição. A família alugou de imediato uma casa pra ele ficar, mas nem isso o governo australiano permitiu.

- Ele está preso. Isso não é justo. Não é humano. A acomodação é horrível. É um pequeno hotel para refugiados, com percevejos. É sujo. A comida é péssima e não dão a oportunidade de se mudar para uma casa que já está alugada, criticou a mãe do rapaz.

Segundo a família do tenista, por ter entrado no país sem o cartão de vacinação, é possível que Djokovic fique três anos sem permissão de voltar; ficando banido do torneio. Uma péssima notícia para o sérvio que já era apontado como nome certo para alcançar o 21º título do Gran Slam, um recorde para a história do tênis.

As autoridades australianas disseram que só vão decidir sobre a deportação do atleta na segunda-feira (10).

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários