Para cortar custos, Santa Casa de Porto Alegre demite todos os obstetras da unidade

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre resolveu demitir todos os obstetras que atendem na unidade de saúde. Apenas os profissionais que estavam em férias ou licença ainda não foram desligados.

Agora, os médicos serão contratados por uma empresa terceirizada e não mais terão vínculo empregatício com a Santa Casa.

A situação ficou tão caótica que, na terça-feira (4), dia em que os profissionais começaram a ser dispensados, a emergência obstétrica parou. Mas, a instituição disse que aconteceu em virtude de que colaboradores escalados estarem com Covid e sem poder trabalhar. Os obstetras, porém, desmentiram a entidade e disseram que os desligados recusaram ser contratados pela terceirizada e desfalcaram a Santa Casa.

- Alegaram que, para a maternidade ter algum retorno, teriam que cortar os custos, e, aí, cortaram custos demitindo todo o quadro - contou o médico Rui Soares Silveira, que trabalhou 35 anos na instituição.
- Foi fechada porque eles, simplesmente, demitiram as pessoas e não tinham um projeto de retaguarda - relatou outra obstetra.

Procurada, a assessoria de imprensa da Santa Casa disse que "todas as decisões da direção têm como prisma a garantia da qualidade e segurança assistencial dos seus pacientes". E que os 22 médicos desligados já foram substituídos por uma nova equipe no mesmo dia.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários