Presidente do Cazaquistão autoriza polícia a atirar em manifestantes

Depois de uma semana agitada, provocada pelo aumento no preço dos combustíveis, ausência de liberdades individuais e contra a corrupção, o presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, afirmou, nesta sexta-feira (7), que deu ordem à polícia e ao exército para atirar sem aviso em militantes que, segundo ele, seriam terroristas disfarçados.

Tokayev disse que o governo restaurou em grande parte a ordem sobre o país e afirmou que a “operação contraterrorismo” continuará “até a liquidação total dos militantes”.

- As agências de aplicação da lei e o Exército receberam uma ordem minha para atirar em terroristas para matar sem aviso - afimou ele, após a chegada de tropas russas para apoiá-lo.

Vale lembrar que todos os líderes autoritários das ex-repúblicas soviéticas nomeavam manifestantes ou dissidentes de “terroristas”.

Os protestos desta semana se deram devido ao aumento no preço dos combustíveis, entrando em uma onda mais ampla de frustração sobre a economia do país e o sistema político. Consequentemente, dezenas de pessoas foram mortas, entre eles, policiais.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários