Caso eleito, Lula vai acabar com o teto de gastos que limita os custos do Governo

A deputada federal Gleisi Hoffmann e atual presidente nacional do Partido dos Trabalhadores disse que, caso o ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva seja eleito presidente do Brasil, neste ano, dentre as reformas que fará de imediato, está o encerramento do teto de gastos, regra que limita o crescimento dos custos do governo em comparação à inflação do ano anterior.

- O teto de gastos está desmoralizado e deve ser um dos primeiros a serem liquidados - avisa, acrescentando que o Governo do PT não pretende escutar adversários ou "mimimi" em torno dos assuntos que julgam ser importantes para mudar.

A cúpula do PT espera fazer uma verdadeira reforma "à esquerda" sem se preocupar com os donos do capital, partidos de oposição ou o povo brasileiro.

- Não tem necessidade de carta ao povo brasileiro. As pessoas já conhecem o Lula. Não precisamos mais de um Palocci (ex-Ministro da Fazenda) - afirmou a parlamentar.
- A única coisa que não vamos fazer é quebrar contratos... O resto nós vamos fazer. E não tem mimimi do mercado - emendou

E mandou um recado às legendas aliadas:

- Conhecem o que pensamos e o que defendemos. Nunca escondemos nossas posições - lembrou a deputada.

Entre as grandes mudanças que o PT pretende implantar no Brasil, estão o controle das polícias (incluindo a Federal), Ministério Público, Forças Armadas, regulamentação da imprensa e da Petrobras, além da reforma trabalhista.

Lula também chegou a afirmar, em agosto de 2021, que, caso eleito, dirá aos militares qual o "papel" deles no Brasil.

- Quando eu ganhar, eu vou conversar porque, aí, eu vou ser chefe deles e vou dizer o que eu penso e qual é o papel deles - alfinetou o ex-presidente.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários