“Orquestrado para me desgastar”, afirma Bolsonaro sobre isolamento social

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou, nesta segunda-feira (10), em participação no jornal “Morning Show”, da Jovem Pan, que as consecutivas medidas restritivas tomadas pelos governadores e prefeitos do Brasil durante a pandemia da Covid-19 foram decididas, propositalmente, para “desgastar” sua gestão.

- No meu entender, foi um trabalho orquestrado para tentar, pela economia, me desgastar. É comum, em um país como o Brasil, tudo que acontece apontarem primeiro para o Presidente da República - explicou.

O presidente disse que o Brasil só não caiu em uma severa recessão porque o Bolsa Família e outras medidas assistenciais a empresas segurou o trabalhador.

- Só no ano de 2020, nós gastamos o equivalente a 13 anos de Bolsa Família. Não podem falar que não pensamos nos mais humildes. No meu entender, foi só por causa disso que não tivemos problemas mais graves no Brasil, como saque em supermercados, incêndios em ônibus, arrastões... Conseguimos manter a economia viva também com programas, atendendo a pequenas e microempresas - lembrou.

E acrescentou:

- O que governadores petistas fizeram nos seus respectivos Estados foi algo de assombrar - emendou.

Bolsonaro aproveitou o momento para comentar que o Brasil ainda corre o sério risco de se tornar uma ditadura de esquerda como ocorre na Venezuela.

- Eu acho que o Brasil ainda corre esse risco. Não é descartado - avaliou o presidente.
- Nós não podemos falar que a nossa paz vai ser eterna no Brasil. Que nós vamos continuar com a propriedade privada, com esse direito de ir ao culto e professar a fé que bem desejar, com o direito de ir e vir, porque alguns desses direitos já foram arraídos - citando que o combate ao novo coronavírus foi uma clara demonstração de como a liberdade vai sendo tomada em partes.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários