Barroso defende a regulamentação da internet e alega crescimento das "milícias digitais e de traficantes de notícias falsas"

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e também presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luis Roberto Barroso, disse, nesta segunda-feira (10), que o crescimento das redes sociais permitiu “o aparecimento de verdadeiras milícias digitais, terroristas verbais e traficantes de notícias falsas que disseminam o ódio, mentiras e teorias conspiratórias”.

- A verdade é que a revolução digital e a ascensão das mídias sociais permitiram o aparecimento de verdadeiras milícias digitais, terroristas verbais que disseminam o ódio, mentiras, teorias conspiratórias e ataques às pessoas e à democracia. Alguns se apresentam como jornalistas, mas são traficantes de notícias falsas - acusou, sem citar nomes.

As declarações do magistrado foram publicadas na Revista Internacional de Direito Constitucional e também compartilhadas no Twitter.

O indicado ao STF pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT) é um crítico voraz do livre acesso às plataformas sociais e, por isso, defende a regulamentação da internet no Brasil o mais breve possível; a fim de evitar “seu uso abusivo” e “a difusão da ignorância, da mentira e a prática de crimes de naturezas diversas”.

Ele justificou o controle da internet e de perfis nas redes sociais, alegando que “saíram à luz do dia, sem cerimônia, os racistas, os fascistas, os homofóbicos, os misóginos, os desmatadores, os grileiros e supremacistas variados".

- É preciso enfrentá-los - afirmou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários