MP pede condenação de Salles e mais 12 aliados do Governo por “violação de medidas sanitárias” em SP

O Ministério Público de São Paulo pediu a condenação de 13 pessoas aliadas ao Governo do presidente Jair Bolsonaro (PL), nesta terça-feira (11). Eles são acusados de realizar e participar de uma motociata no Estado, em junho do ano passado, sem levar em consideração a disseminação do coronavírus.

Entre os alvos da ação, estão o ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles (Novo), Tomé Abduch (empresário), Estevam Hernandes Filho (bispo da Igreja Renascer em Cristo), Jarkson Vilar da Silva (organizador do evento), entre outros.

O promotor Arthur Pinto Filho, da Promotoria de Direitos Humanos da Capital, alegou na ação que houve desrespeito às leis e decretos em vigor para contenção da disseminação da Covid-19 e, além da condenação; pediu o pagamento de multas a todos, que somam R$ 2,1 milhões.

O promotor informou que gostaria de ter incluído no processo o presidente Jair Bolsonaro e os ministros dele; mas, em virtude do foro especial a que têm direito, não foram citados.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários