Austrália nega, pela segunda vez, visto a Djokovic

O governo da Austrália negou, pela segunda vez, visto ao tenista Número 1 do mundo, o sérvio Novak Djokovic, de 34 anos. O atleta passa por uma verdadeira "via crucis" desde que as autoridades daquele país informaram, erroneamente, que o rapaz poderia participar do Grand Slam, que começa dia 16, apenas com teste negativo para a Covid-19. Mas, ao chegar para o campeonato, ele foi preso e acusado de crime contra a saúde pública.

O Departamento de Imigração prende o tenista em um hotel para refugiados há semanas. E, neste sábado (15), há um dia do torneio, ele será novamente interrogado por funcionários em Melbourne. Ele não pôde treinar como os seus adversários.

É uma reviravolta negativa para o atleta depois que um juiz federal australiano suspendeu a expulsão do sérvio.

A presença de Djokovic no torneio é a mais esperada, já que o atleta pretende conquistar o seu 21º troféu de Grand Slam, um recorde na história mundial do tênis.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários