Morre a pastora Ludmila Ferber, considerada uma das mais importantes compositoras do mundo gospel

A cantora e compositora gospel Ludmila Ferber lutava contra o câncer de pulmão há três anos.

Ela foi diagnosticada com a doença em 2018 e entrou em tratamento quimioterápico, logo em seguida. Mas, o câncer fez metástase e se alastrou para os ossos e fígado. Ela não resistiu e faleceu nesta quarta-feira (26).

Na época em que descobriu a enfermidade, a pastora, que embalou os cultos evangélicos nas décadas de 90 e 2000 e ficou conhecida com hits como "Nunca pare de lutar", disse:

- Em tempos de guerra, 'nunca pare de lutar’. Hoje, estou entrando num momento único e surpreendente da minha vida: o tratamento de quimioterapia. Mas, ainda que o ritmo de viagens para ministrações diminua durante um tempo, meu ministério não parou. E nem vai parar - afirmou.

Nascida no Rio de Janeiro, a descendente de judeus russos, Ludmila é considerada uma das mais importantes compositoras do mundo gospel e é uma das 12 cantoras evangélicas mais conhecidas no Brasil e no mundo. Ela foi casada durante 27 anos com o também pastor José Antonio Lino. Eles chegaram a fundar uma igreja juntos em 1998, na capital fluminense, mas, em 2014, veio o divórcio.

A pastora de 56 anos deixa três filhas.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários