Supermercados Guanabara deixam Ivete Sangalo na "geladeira" após ofensas a Bolsonaro

A rede de supermercados Guanabara está tendo um grande prejuízo por ter aliado o próprio nome à garota-propaganda Ivete Sangalo.

Contratada desde 2011 pela empresa, a cantora baiana vinha dando bons resultados para a rede. Mas, tudo mudou quando "Veveta" resolveu sair do seu "quadradinho" e ser mais incisiva em suas críticas e ofensas ao presidente Jair Bolsonaro (PL), que tem boa relação com a maioria da população.

A artista, até então "isentona", foi flagrada incitando o público em Natal, Rio Grande do Norte, onde fazia show, a ofender Bolsonaro. O vídeo caiu nas redes sociais e ela atraiu para si a fúria dos apoiadores do Governo Federal e uma outra "avalanche de críticas".

Por conta do apelo negativo que ela traz para a marca, os Supermercados Guanabara, por enquanto, nem pensam em estampá-la em nenhuma mídia. A companhia sabe que esse poderá ser um erro fatal para eles. Talvez, até o último. Quem sabe? Melhor não arriscar!

O movimento da Guanabara, inclusive, é muito diferente do que ocorreu em 2013, quando o grupo chegou a investir em uma única campanha de aniversário com a cantora de axé o equivalente a R$ 13 milhões. Mas, hoje, a direção resolveu repensar o seu plano de Marketing e evitar o mesmo desgaste que sofreram o Bradesco e a Heineken, o ano passado, quando contrariaram os clientes e perderam muito dinheiro.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários