Coordenadora do curso de Medicina da UnB pede demissão após universidade exigir comprovante de vacina

A professora Selma Kuckelhaus, que era coordenadora do curso de Medicina da Universidade de Brasília (UnB), pediu demissão do cargo após ser informada de que a instituição de ensino exigiria o comprovante de vacina contra a Covid-19 para todos os servidores.

Foi nesta quinta-feira (27) que a universidade decidiu cobrar de todos os funcionários não imunizados o comprovante com o esquema completo. Quem não tivesse o documento ficaria impedido de entrar em qualquer um dos prédios da UnB.

A professora discordou da medida e argumentou que é "sensível ao momento pandêmico, mas, segundo ela, a eficácia e a segurança dos fármacos não estão comprovadas e "suscitam inúmeros questonamentos."

- Sou árdua defensora das liberdades individuais - disparou.

Em nota, a UnB alegou ser "guiada pela ciência e a democracia" e disse que todas as regras são baseadas na "preservação de vidas".

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários