Médico é preso por não atender delegado "com prioridade"

O caso aconteceu em uma unidade de saúde no município de Cavalcante, nordeste de Goiás, na quinta-feira (27). O médico Fábio Marlon Martins França fazia o atendimento de praxe no local, quando o delegado Alex Rodrigues da Silva chegou com sintomas de Covid-19 e queria ser avaliado primeiro, embora tivesse uma fila e pessoas na sua frente.

França se recusou a "encaixá-lo" e pediu que ele aguardasse a vez, porque viu que o caso dele não era grave. A discussão ficou acalorada e o delegado saiu. Voltou, porém, em seguida, acompanhado de colegas de farda e prendeu o médico na hora.

O incidente foi levado à Justiça, mas o juiz Fernando Oliveira Samuel, responsável pelo processo, entendeu, até o momento, que houve abuso de poder por parte de Alex e comentou que nada justifica a coerção do profissional de saúde; enquanto poderia ter feito atendimento de pacientes urgentes que aguardavam.

- Todos têm que ser igual. Não é porque a pessoa tem um cargo melhor que vai passar por cima de pessoas que estão ali querendo atendimento, esperando sua vez. Isso eu não vou aceitar jamais. Se esse é o preço para eu cumprir, que me prenda novamente - afirmou o médico.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários