Comandante da FAB afirma que militares prestarão continência a Lula ou qualquer outro presidente

O tenente-brigadeiro-do-ar e atual comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), Carlos de Almeida Baptista Júnior, em entrevista à Folha de S.Paulo, nesta segunda-feira (31), afirmou que as Forças Armadas prestarão continência a "qualquer comandante supremo", seja Lula (PT) ou Jair Bolsonaro (PL) o próximo presidente do Brasil.

- Lógico. Nós somos poder do Estado brasileiro. A continência é um símbolo. Quando a gente entra nas Forças Armadas, a gente aprende que ela visa à autoridade. Nós prestaremos continência a qualquer comandante supremo das Forças Armadas. Sempre - explicou.

E acrescentou:

- A FAB e as Forças, tenho certeza, se manterão dentro de sua destinação constitucional. Não tomarão partido. A política não entrará nos nossos quartéis - avisou, destacando que os militares se manterão neutros na disputa eleitoral.
- Como comandante da FAB, sempre ratifiquei a posição apartidária da Força. Uma coisa é falar de política, outra é de política partidária - concluiu.

Dias antes da entrevista de Baptista Júnior, o general Carlos Alberto Santos Cruz, ex-ministro do Governo Bolsonaro, filiado ao Podemos e pré-candidato a uma vaga no Senado, já havia acusado o presidente de ser "covarde", "canalha" e "traidor".

Santos Cruz também não poupou críticas aos colegas de farda que fazem parte da gestão federal e disse:

- Essas pessoas não representam as Forças Armadas. Nem eu quando estava no governo representei. O pessoal da reserva não representa as Forças Armadas. O Heleno não está lá exercendo a função de general, mas a de um ministro qualquer - opinou ele que era bem próximo do ex-presidente Lula em gestões do PT.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários