Novo presidente da OAB diz que vai trabalhar junto ao TSE para "coibir Fake News"

O advogado criminalista José Alberto Simonetti, de 43 anos, novo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), não é muito diferente do antigo dirigente da entidade, Felipe Santa Cruz, que deixou o cargo para candidatar-se ao Governo do Rio de Janeiro.

Beto Simonetti, como é mais conhecido, já avisou que a instituição vai trabalhar lado a lado com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), supostamente, na defesa e manutenção do sistema eleitoral brasileiro e no combate a Fake News.

- (...) As Fake News são algo repugnante aos olhos da Ordem. Nós pretendemos acompanhar de perto essa questão, sobretudo nas eleições. Eu vejo como um câncer da democracia porque ela ludibria a vontade do eleitor. Estaremos junto ao TSE, apoiando esse modelo eleitoral que nós temos hoje no Brasil que já se mostrou eficaz - opinou.

Crítico à maior operação anticorrupção da história do Brasil, Simonetti disse que parte do desemprego atual no país é resultado das investigações da "Lava Jato".

- Graças a Deus, foi desmobilizada. Eu não critico o combate à corrupção, mas a forma como foi conduzida. (...) O instituto da delação premiada foi muito mal utilizado. (...) Muitos postos de trabalho foram perdidos. Hoje, temos 14% de desemprego. Não posso reputar 100% de culpa à Lava Jato, mas eu tenho absoluta certeza de que forma como ela foi conduzida contribuiu para isso.

Já a anulação de vários processos contra o ex-presidente Lula (PT), cujos governos indicaram boa parte dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), foi avaliada por ele como "acertada".

- Eu não conheço as provas que foram carreadas ao processo do ex-presidente Lula nem quero entrar no mérito de sua inocência. Mas, se o Supremo identificou que ali havia nulidades, acertou se anulou provas inválidas - finalizou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários