Disputando com Chile e Canadá, Brasil é o escolhido para negociar tratado de pandemia na OMS

O Governo do presidente Jair Bolsonaro foi um dos escolhidos para negociar um tratado internacional sobre pandemias, que vai perdurar por anos. A escolha do Brasil foi feita por meio de um consenso entre as Américas e já é considerada o pacto diplomático mais importante após a disseminação da Covid-19 no mundo.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), sob o comando de Tedros Ghebreyesus, determinará uma espécie de lista com regras vitais para os países evitarem cometer em caso de nova pandemia mundial.

Além de identificar direitos e deveres dos governantes e transferência de tecnologia entre as nações.

- Se o mundo conta com tantos tratados internacionais sobre outros riscos, ele precisa ter um acordo sobre a pandemia - justificou Ghebreyesus.

Para que o documento seja válido, porém, todos os governos inseridos no pacto deverão concordar com a redação do tratado.

Além do Brasil, África do SUl, Tailândia, Holanda, Japão e Egito participaram do bloco.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários