Dois meses após filiação de Bolsonaro ao PL, partido prepara adesão de novos integrantes

O presidente Jair Bolsonaro (PL) levou mais de dois anos analisando um partido no qual coubessem seus ideais políticos. Avaliou várias propostas, rejeitou muitas e, por fim, em novembro de 2021, ele fechou com a legenda de Waldemar Costa: o PL.

A filiação do presidente era muito esperada e disputada pelas siglas, porque os líderes dos partidos sabiam que a legenda que Bolsonaro escolhesse teria a entrada de muitos outros parlamentares e é, exatamente, o que está acontecendo agora: o PL prepara a adesão de vários deputados e autoridades.

O vereador Carlos Bolsonaro e o deputado Eduardo Bolsonaro são cogitados para entrar no partido. Além deles, Ricardo Salles, ex-ministro do Meio Ambiente, Daniel Silveira, Bia Kicis e Mayra Pinheiro, ex-Secretária de Saúde, também são cogitados.

Mário Frias, secretário especial da Cultura e Eduardo Bolsonaro se reuniram, na terça-feira (1), com Waldemar Costa, indicando que levarão um "comboio" para a sigla do presidente. Mas, a "janela partidária" acontece só em março e é quando os deputados poderão migrar de legenda.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários