Chile, sob o comando do esquerdista Boric, decide acabar com as Forças Armadas

O esquerdista Gabriel Boric, eleito presidente do Chile em dezembro de 2021, acaba de ser elevado ao cargo de Alto Comando do Exército. É que a Convenção Constitucional do país apresentou, na terça-feira (1), uma proposta para abolir as Forças Militares Armadas (FFAA) por lá.

Para substituir os militares, eles planejam instaurar as Forças de Paz e Policiais, subordinadas a Boric.

- As Forças Armadas devem se incorporar ao processo de mudanças sociais e políticas, de maneira a permitir que a instituição seja de fato dependente do poder democrático civil - alega a Convenção em documento, acrescentando que as Forças Armadas não devem ser permanentes:
- Em toda a História, essas instituições têm feito uso da força para alcançar os objetivos de determinados grupos políticos - explicam.

Os militares só deverão ser convocados novamente pelo Poder Executivo em no caso de iminente ameaça estrangeira. Ou então para fazer a segurança das fronteiras do país e para trabalhar em cooperação com outro país.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários