Peng Shuai reaparece 3 meses após denunciar agressão sexual na web: "Eu nunca disse isso"

A tenista chinesa Peng Shuai, de 36 anos, concedeu entrevista ao jornal francês L'Equipe e negou que tenha acusado o ex-vice-premiê do seu país, Zhang Gaoli, de 75 anos, nesta segunda-feira (7), e negou que tenha acusado o político de tê-la estuprado.

- Agressão sexual? Eu nunca disse que alguém tinha me agredido sexualmente de alguma forma - despistou a atleta, que ficou mais de 3 meses incomunicável.

Em 2 de novembro de 2021, Peng divulgou um post na Weibo, a rede social chinesa que o Governo comunista administra (já que o Facebook é proibido no país), em que revelava ter sofrido agressão sexual por parte de Gaoli. Ela afirmou, na época, que a relação era "desagradável" e não consensual. O governo de Xi Jinping apagou a mensagem minutos depois e a tenista não foi mais vista.

- Naquela tarde, eu não concordei. Em primeiro lugar, eu estava chorando o tempo todo... Por que você teve que vir até mim e me forçar a ir pra sua casa e fazer sexo com você?? Eu não poderia... - escreveu nas redes sociais.

Peng Shuai reapareceu esta semana e desmentiu tudo o que havia dito. Steve Simon, presidente da Associação Feminina de Tênis (WTA), comentou que a entrevista não alivia as preocupações sobre os estados de saúde físico e mental da atleta.

- Sua recente entrevista não alivia nenhuma de nossas preocupações sobre sua postagem inicial de 2 de novembro. Para reiterar nossa opinião, Peng deu um passo ousado ao apresentar publicamente a acusação de que ela foi agredida sexualmente por um líder graduado do governo chinês - afirmou, acrescentando que Peng poderia estar sendo obrigada a dizer que tudo não passou de um "mal-entendido".

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários