"Disciplina, responsabilidade e aprovação no Enem 2017" fizeram Fachin determinar liberdade condicional a Geddel Lima

O ex-ministro do Governo Lula, Geddel Vieira Lima, que foi pego com bunker em apartamento na Bahia contendo R$ 51 milhões, teve a pena relaxada para liberdade condicional pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Foi o ministro Edson Fachin quem autorizou a nova modalidade de cumprimento da pena.

Geddel havia sido condenado a 13 anos e 4 meses de prisão em regime fechado em outubro de 2019. Mas, uma decisão do STF reduziu a pena em um ano e meio porque a Corte entendeu que não havia associação criminosa no ato de guardar o dinheiro.

Em seguida, o ex-ministro saiu do regime domiciliar para o semiaberto, no qual ele podia trabalhar e, agora, novamente, Fachin autoriza a liberdade condicional.

Por ter sido aprovado no Enem de 2017, Geddel ainda teve um "brinde" de 681 dias reduzidos da sua condenação.

O magistrado disse que reconheceu em Vieira Lima todas as "condições" para progressão da pena. Entre elas, "senso de disciplina e responsabilidade" e uma proposta de emprego.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários