VÍDEO: Pacheco coloca o Congresso " à disposição do TSE" e pretende reabrir CPMI das Fake News

Após os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin e Alexandre de Moraes, entregarem pessoalmente convite ao presidente Jair Bolsonaro (PL) da nova posse no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os magistrados também foram aos presidente da Câmara e do Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (PSD-MG), conversar sobre o pleito.

Pacheco foi quem passou mais tempo conversando com os magistrados e aproveitou o momento para colocar o Congresso "à disposição do TSE" no combate a supostas Fake News divulgadas durante as eleições deste ano. A Corte eleitoral publicou uma série de regras para os candidatos seguirem se quiserem utilizar as redes sociais para promover suas ações. Além disso, contratou "checadores" para avaliar o conteúdo das mídias na internet e proibiu o envio de mensagens em massa nos aplicativos como o WhatsApp.

Muito solícito, Pacheco disse aos ministros que pretende reabrir a CPMI das Fake News para contribuir com a fiscalização de mensagens consideradas falsas.

O presidente do Colegiado, Ângelo Coronel, disse que a ideia é fazer um trabalho em conjunto com Polícia Federal, Ministério Público e TSE para coibir o envio e disseminação de conteúdo falso.

- Isso é um atestado das más intenções do Rodrigo Pacheco - alertou o comentarista da Jovem Pan, Guilherme Fiúza.
- Por que recuperar esta CPMI? O que ela trouxe de bom? Ela mostrou apenas a desmoralização de uma tese ridícula, esdrúxula de que a eleição de Bolsonaro tinha sido um golpe de WhatsApp. Foi lá a fonte da Folha de S.Paulo e desmentiu, desmoralizando a CPMI das Fake News - completou.

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários