Saiba qual a melhor hora do dia para a prática de exercícios que aumentam a saúde metabólica

Os exercícios vespertinos (de tarde) podem ser mais potentes do que os praticados pela manhã para melhorar a saúde metabólica. As atividades praticadas no final do dia moderam os efeitos indesejáveis para a saúde de uma dieta gordurosa, ao passo que os praticados pela manhã, não ajudam, apontou um estudo feito com homens obesos.

A prática vespertina tem algumas vantagens particulares porque o corpo humano segue um ritmo circadiano intrincado e mutável. Todos os tecidos contêm relógios moleculares que coordenam nossos sistemas biológicos, levando o açúcar no nosso sangue a aumentar e diminuir durante o dia, junto com nossa fome, ritmo cardíaco, temperatura do corpo, expressão genética, força dos músculos, divisão das células, gasto de energia e outros processos.

Saber ao certo o funcionamento pleno desses relógios internos é um mistério. Mas, os cientistas sabem como eles se recalibram com base em sinais complexos de dentro e fora do corpo. Porém, o mais óbvio é que existe uma sincronização com a luz e o sono, programando as refeições e significando que, quando comemos e o que comemos, influi na nossa saúde e metabolismo.

Pesquisadores acreditam que o timing para exercitar obedece a um relógio interno, mas não é unanimidade. Alguns sugerem que os exercícios pela manhã, antes do café, queimam mais gorduras do que os praticados à tarde. Outros, porém, acham o oposto. E tem até alguns experimentos recentes, indicando que os exercícios matinais, se forem intensos, podem prejudicar o controle do açúcar no sangue, ao passo que as mesmas práticas, mais tarde, atenuam os picos de açúcar e melhoram a saúde metabólica, o que tem benefícios particulares para a saúde do coração e o controle da diabete Tipo 2.

Os exercícios no final da tarde reduziram os impactos piores da dieta gordurosa e diminuíram o nível de colesterol dos praticantes, como também houve uma melhora na saúde cardiovascular e desenvolveram um melhor controle do açúcar no sangue durante a noite após os exercícios, quando dormiam.

O resultado é que “o exercício no final da tarde reverteu ou diminuiu algumas das mudanças” que acompanhavam a dieta com alto teor de gordura, disse Trine Moholdt, cientista na Norwegian University of Science and Technology, que liderou o estudo na Austrália.

- O exercício matinal não - completou.

O estudo não nos diz como e por que as práticas no fim da tarde são mais eficazes, mas a Dra. Moholdt suspeita que elas têm mais impacto sobre os relógios moleculares e a expressão gênica do que os exercícios matinais.

- Sei que as pessoas sabem disto, mas qualquer exercício é melhor do que nenhum - conclui.
Mostrar comentários