“Nazismo, comunismo, fascismo... Tudo farinha do mesmo saco”, afirma van Hattem

O deputado federal Marcel van Hattem (NOVO-RS) não deixou de comentar sobre a polêmica que tomou o país, nesta semana, e expressou total repúdio em sua fala no plenário. O parlamentar fez questão de “jogar um balde de água gelada” em quem tem levado a confusão no Flow Podcast na brincadeira.

- É lamentável ver uma discussão tão séria e tão triste, ser feita de forma tão rasa, por tantas pessoas. Meus avós sofreram as agruras do nazismo em uma Holanda tomada pelos alemães –contou.
- É importante lembrar que o nazismo foi terrível. Eu tive a oportunidade - muito ruim e desgastante, mas, por outro lado, importante - de visitar um campo de concentração desligado em Auschwitz, na Polônia, e pude ver um pouco dos absurdos que foram feitos ao povo judeu e todos que ali foram confinados – explicou, acrescentando que comunistas tomaram conta dos campos de concentração desativados e continuaram o “circo de horrores”.
- Comunismo, fascismo, nazismo são todos farinha do mesmo saco - apontou.

O deputado ainda disse que, embora o Brasil seja um país democrático e a população tenha todo o direito de debater o tema, é de lamentar e repreender qualquer um que defenda a ideologia.

- Temos que combater a hipocrisia daqueles que condenam um regime totalitário que deve ser condenado, mas que exaltam outros, como os regimes comunistas que deixaram milhões de mortos na Rússia, na China e até hoje mantém campos de concentração, por exemplo, no país mais fechado do mundo: a Coréia do Norte -
- Inclusive, nesse parlamento, representantes de ideologias totalitárias que defendem ditaduras, e infelizmente tentam solapar nossa democracia, desde dentro - finalizou o discurso.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários