VÍDEO: Pela primeira vez, Governo Federal leva energia elétrica ao Arquipélago do Marajó

Após levar internet de alta velocidade a comunidades isoladas da Amazônia por meio de cabos subfluviais, o Governo Federal volta a atenção novamente para a Ilha do Marajó, no Pará, e investe R$ 386 milhões para que os ribeirinhos (população que mora às margens dos rios), pela primeira vez na história do arquipélago, tenham direito também à energia elétrica.

O Marajó é o maior arquipélago do planeta e tem 2.500 ilhas. Nessa primeira etapa, do programa "Mais Luz Para a Amazônia", três municípios serão contemplados: Curralinho, Megalço e Portel.

Mais de 990 mil pessoas, divididos em 9 Estados, não têm acesso à anergia elétrica na Amazônia Legal, segundo apontou levantamento de 2019, do Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA). A maior parte deles vive no Pará, onde 409.593 mil habitantes convivem diariamente com a escravidão de comprar diesel a preços altos para poder usar como combustível em barcos (único meio de transporte em algumas cidades) e em geradores.

Com a chegada da energia elétrica, além de diginidade aos ribeirinhos, o Governo Federal espera que mais atividades enconômicas se desenvolvam na região; aumentando a renda familiar das comunidades.

Como a região é banhada por rios e oceanos, os equipamentos vieram em barcos e o momento da chegada foi muito comemorado pela população.

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários