TSE responde às Forças Armadas e afirma que "não há vulnerabilidade nas urnas"

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o comando do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Roberto Barroso, após críticas do presidente Jair Bolsonaro e cobranças da imprensa, encaminhou documento respondendo às Forças Armadas sobre o sistema eleitoral brasileiro.

A Corte disse que o documento tinha mais de 700 páginas e que nenhuma pergunta dos militares fazia menção sobre a segurança das urnas.

Em transmissão, ao vivo, na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro (PL) reclamou da demora do TSE em dar resposta aos militares e disse que, por duas vezes, o departamento de cibernética tentou contato, mas não foi correspondido.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários